Refashion Week :: From Shirts to Shorts

A Magda desafiou-me para participar na Refashion Week, juntamente com uma série de outras bloggers, todas elas portuguesas! Qual foi a primeira coisa em que pensei? Aproveitar camisas, claro! 
Com a chegada do Verão, o Rodrigo estava a precisar de pijamas frescos. À semelhança daquilo que fiz há dois anos, aproveitei camisas do meu pai e do Tiago para fazer-lhe quatro pares de calções, mas desta vez usei um molde diferente: os Sunny Day Shorts do Oliver + S. 
O molde é gratuito mas não deixa de ser impecável (os moldes Oliver + S são irrepreensíveis). As únicas alterações que fiz foram: 1- coser tudo com costuras inglesas e 2- arredondar um bocado a frente dos calções, porque o gancho era demasiado grande e fazia uma espécie de fole. Usei o tamanho 4 anos para o Rodrigo, que vai fazer 3 anos daqui a um mês (o primeiro par que fiz — e que não fotografei — foi com o tamanho 3 anos e achei que estavam bons agora, mas não serviriam daqui a seis meses… e quero que os calções voltem a ser usados durante o Verão português).
Dá gosto fazer costuras assim! Hoje em dia acho que ninguém cose para poupar dinheiro, mas este projecto é daqueles em que só se gasta linha, electricidade e tempo. E é tão bom vê-lo a usar calções confortáveis, frescos e com bom corte, e pensar que os fiz com materiais reciclados. 
Como sabem, farto-me de aproveitar camisas de homem — um dia tenho de fazer um post com um apanhado de tudo aquilo que já fiz — porque os tecidos são excelentes e, muito francamente, de graça! Para fazer cada um destes calções usei apenas as costas e uma manga de cada camisa. Com o que sobrou, ainda consegui fazer uns quantos babetes para o Pedro.
Obrigada, Magda, pelo convite para participar na tua série! Para verem mais reciclagens criativas de um grupo de bloggers talentosas, não deixem de visitar o blog ao longo desta semana. E espreitem aquilo que a Maria João fez hoje!
Magda invited me to take part in her Refashion Week, along with a handful of other Portuguese bloggers. What was the first thing that occurred to me when I read her email? Upcycling shirts, of course!

It’s been hot around here and Rodrigo was in need of some cool pyjamas. Just like I did two years ago, I turned a bunch of old men’s shirts into pj bottoms, but this time I used a different pattern: Oliver + S Sunny Day Shorts.

It’s a free pattern but that doesn’t mean that it’s any less perfect that the other Oliver + S patterns. The only alterations I made were: 1- I French-seamed (is that a verb?) everything; 2- the front was sitting too high and that was causing some odd folds, so I lowered it a bit by cutting a soft rounded line across the front (I eyeballed this). I sewed size 4 for Rodrigo, who’s turning 3 next month. I started by sewing size 3 (not pictured here) but even though they were fine for now, I know that in 6 months time they’ll no longer fit (and he’ll need them for the Portuguese summer).

I find this type of sewing incredibly satisfying. I guess nowadays no-one sews in order to save money but this is one of those projects where you only consume thread, electricity and your time. And it feels great to see your children wearing comfortable, crisp and well-cut clothes that have been made using up recycled materials.

As you know, I’m always upcycling men’s shirts — I must to post a round-up of everything I’ve made so far — because they’re a source of great quality fabrics and, let’s be honest, it’s free fabric! To make each of these shorts I only used the back of the shirt and one sleeve. With the leftovers I made bibs for Pedro!

Thanks, Magda, for inviting me to play along with you. If you’d like to see what the other talented bloggers have created, don’t miss Magda’s blog updates this week. And check out what Maria João has come up with today!
(photos: © Constança Cabral)

Mulberry Tunic :: An Upcycled Men’s Shirt

(do avesso :: inside out)

Estou contentíssima com esta camisa de Verão que fiz para o Rodrigo. Ficou fresca, confortável e, simultaneamente, arranjadinha q.b. Ele também gostou!
1. O molde
Mulberry Tunic da Olga do blog Kid Approved. Este molde tem algumas variações: mangas curtas ou compridas, bolsos e um capuz. É um molde digital (quando o compramos, recebemos um ficheiro PDF por email) e vai dos 18 meses aos 12 anos.

2. A minha versão
Fiz a versão que gastava menos tecido (já vos vou dizer porquê): mangas curtas, sem bolsos nem capuz. Fiz as presilhas das mangas mais curtas (diminuí-lhes 2,5 cm no comprimento) e fiquei rendida às dobras das mangas, que são feitas de uma maneira muito engenhosa. O remate do colarinho não foi cortado em viés — mas sim num ângulo esquisito entre 45º e 90º, porque não havia tecido suficiente —, daí ter ficado um bocadinho ondulado (mas isto é um preciosismo… quase nem se nota, sobretudo porque o Rodrigo nunca está quieto!). Cosi os lados com costuras inglesas, o meu acabamento preferido.

3. O tamanho
Fiz o tamanho 3 anos para o Rodrigo, que vai fazer 3 anos daqui a um mês. Fica-lhe impecável, mesmo à medida.

4. O tecido
Reutilizei uma camisa fil-à-fil do meu pai, daí o tecido ter sido tão à conta! Era uma camisa clássica para usar com gravata, mas o colarinho já estava muito esgarçado e acho que já tinha sido virado uma vez. Como sabem, farto-me de aproveitar camisas de homem para tudo e mais alguma coisa, e o tecido desta era tão bom que tinha mesmo de ser utilizado para algo especial. Estas são as minhas reciclagens preferidas: aquelas em que se consegue tirar o máximo partido da peça original, mas o resultado não fica com ar de reaproveitamento. Os botões madrepérola vieram de outra camisa.

5. Notas finais
Devo confessar que hesitei um bocado antes de comprar este molde, porque aquela costura a meio ali à frente não me convencia… Percebo a razão porque ela existe: é uma maneira fácil de fazer uma carcela até meio, para dar à camisa um ar de túnica — e eu, como costureira autodidata e com pouco traquejo nesta arte da confecção, agradeço a intenção. Mas, como o molde ficou em saldos antes do Natal, resolvi arriscar. Ainda bem que o fiz! Gosto imenso do resultado, acho que a costura nem se nota e fartei-me de aprender com as instruções. Agora quero fazer uma versão de Outono com mangas curtas e capuz.
I’m really happy with this summer shirt I made for Rodrigo. It turned out great: cool, comfortable and not too dressy but not too casual either. He approves!

1. The pattern
Mulberry Tunic by Olga from the blog Kid Approved. This pattern offers a few variations: short or long sleeves, pockets and a hood. It’s a digital pattern (which means that you get a PDF file on your email inbox) and it’s sized from 18 months to 12 years.

2. My version
I made the version that used up less fabric (more on that later): short sleeves, no pockets and no hood. I made the sleeve tabs 1” shorter than the original ones and I was really pleased with the fold on the sleeves, it’s really clever. I didn’t manage to cut the tape for the collar on the bias because I didn’t have enough fabric — I was forced to cut it in a funny angle somewhere between 45º and 90º, and that’s why it doesn’t lay completely flat (but since Rodrigo never sits still, you’ll never notice it). I used French seams for the sides of the shirt.

3. The size
I made a size 3 for Rodrigo, who’s turning 3 next month. The fit is perfect.

4. The fabric
I upcycled a fil-a-fil shirt that used to belong to my father. It was one of those classic shirts to wear with a tie but the collar was getting old and I think it had already been turned once. As you know, I love breathing new life into old clothes and this shirt’s fabric was really high quality, so I had to use it to make something special. This is my favourite kind of recycling: where you’re able to make the most of the original piece but the result doesn’t look like “making do”. The shell buttons came from another shirt.

5. Final notes
I confess that I hesitated a bit before buying this pattern because of that front horizontal seam. I guess I know why it’s there: it makes the whole job of sewing the half placket a lot easier — and I, as a self-taught sewer and a beginner in the art of dressmaking, undoubtedly appreciate the intention. But when the pattern went on sale before Christmas, I decided to give it a go. Well, I’m glad I did! I love how the tunic turned out, the aforementioned seam doesn’t bother me at all and I learned a lot from Olga’s instructions. Now I want to make an autumn version with long sleeves and a hood.

(photos: © Constança Cabral)

Embrulho #1 :: Gift Wrapping #1

Ao longo dos próximos dias vou mostrar-vos como estou a embrulhar os presentes cá em casa.

A ideia de hoje: um desenho/pintura infantil + um bocado de cordel + um botão a condizer.

Over the next few days I’m going to show you how I’m wrapping my presents this year.

Today’s tip: children’s art + a piece of twine + one matching button.

(photo: © Constança Cabral)

Enfeites de Natal Reciclados :: Recycled Christmas Ornaments

Os enfeites da nossa árvore de Natal são todos reciclados. Hoje mostro-vos três ideias para aproveitar materiais antigos e sobras de tecidos e fitas:
1. Enfeites antigos (os meus preferidos; adorava encontrar mais enfeites deste género). Estes foram todos comprados em lojas de caridade inglesas, mas vinham com uns cordéis/fitas/bocados de lã muito feios. Limitei-me a substitui-los por fitas de algodão e de cetim em cores berrantes… que diferença! Ficaram instantaneamente com um ar festivo e sofisticado q.b. Aqui fica uma ideia para pôr a uso os enfeites das avós (e se não os quiserem, não os deitem fora… enviem-mos!).
2. Embrulhar bolas de Natal com restos de tecido — no meu livro tenho explicações e fotografias passo-a-passo.
3. Fazer borlas com retalhos de tecido — mais uma ideia retirada do meu livro
Aqui ficam três ideias simples e baratas para este Natal. Espero que gostem!
Every ornament I’ve hung this year on our Christmas tree has been recycled or repurposed. Today I’m showing you three ideas to make use of spare materials and little odds and ends:

1. Vintage ornaments (my absolute favourites; I wish I could find a few more like these). These were all bough in English charity shops but they came with ugly pieces of string/yarn/thread attached to them. I simply replaced those with cotton and satin ribbons in bright colours… and what a difference it makes! Talk about an instant transformation: they suddenly look a lot more festive and sophisticated. Here’s an idea to revive granny’s old ornaments (and if you still don’t like them, please don’t throw them away… send them to me!).

2. Old bubbles wrapped in fabric — in my book I show you step by step pictures and instructions on how to make this (it’s really simple, as you can imagine).

3. Tassels made with fabric scraps — again, this is one of the projects from my book.

Here are three simple and cheap ideas for this Christmas. I hope you like them!
(photos: © Constança Cabral)

Transformar um Candeeiro :: Lamp Makeover

Temos um candeeiro novo na entrada. Mas este candeeiro não foi comprado assim… vejam só como era quando o descobri numa loja de caridade aqui ao pé:
We’ve got a new lamp in our hall. But the lamp didn’t look like this when I first bought it… just take a look at what it used to look like when I discovered it at a local charity shop…

Eis o que lhe fizemos: 
– o abat-jour original voltou para a loja de caridade;
– a base de latão foi pintada de branco (comprámos duas latas de tinta em spray: um primário para metal e um branco semi-brilhante adequado a todas as superfícies);
– fiz o abat-jour novo num workshop em que participei no sábado passado, na Made Marion em Wellington — o tecido utilizado veio de um par de cortinas antigas que comprei há uns anos numa loja de caridade inglesa.
Grande transformação, não foi? É incrível o que se pode fazer com tintas e tecidos!
Here’s what we’ve done with it:

– the original shade went back to the charity shop;
– the brass base was spray painted white (we bought a primer for metal surfaces and an all-purpose semi-gloss in white);
– I made the new shade last Saturday at Made Marion‘s lampshade making workshop in Wellington — the fabric I used came from a pair of old curtains I bought years ago in a British charity shop.

Huge transformation, right? The power of paint and fabric is truly amazing!


(photos© Constança Cabral)

Transformar uma Mesa :: Table Makeover

 

 

 

 

 

 

A nossa mesa de jantar é provisória há quase quatro anos mas, até encontrarmos outra gira e a um preço acessível, terá de continuar a servir. Digo provisória porque tem as dimensões de uma boa secretária e não propriamente de uma mesa para a casa-de-jantar. Foi comprada numa loja de caridade inglesa por £30; é de pinho mas tinha um verniz feio e pintámo-la de branco. Lixámo-la, demos uma demão de primário e duas de tinta, mas nunca chegámos a aplicar uma camada de verniz protector… e a tinta foi saltando.
A verdade é que a mesa estava indecente e eu já não conseguia olhar para ela… já bastam as paredes verdes, amarelas e cor-de-rosa, as barras floridas e os cortinados duvidosos! A solução foi simples: forrar-lhe o tampo. Comprei um corte de oleado mas, quando o pus em cima da mesa, as marcas viam-se à transparência — então lembrei-me de aplicar um bocado de enchimento para quilts entre o tampo e o oleado.
Até agora tenho feito este género de trabalhos com tachas de estofador, mas achei que era tempo de comprar uma pistola de agrafos. Em Lisboa usei a da minha mãe (uma Bosch bem simpática) mas cá não a encontrei à venda, por isso comprei um outro modelo eléctrico que estava disponível.
Com o Rodrigo por perto esta operação demorou um fim-de-semana inteiro. Numa casa sem crianças pequenas, imagino que bastem duas horas. Como podem ver, ele fartou-se de ajudar!
Our dining table has been temporary for almost four years now but until we find another one within our budget, it’ll have to stick around. I say temporary because its dimensions are those of a good desk, not a proper dining table. We bought it in a charity shop in England for £30; it’s made of pine but it had a nasty varnish so we painted it white. We sanded and primed it, gave it two coats of white paint but never sealed… so it quickly got chipped.
 
The fact is I was sick of looking at the table in question… green, yellow and pink walls are enough to deal with. So I came up with a simple fix: covering it in oilcloth. However, I encountered a small problem along the way: as I placed the oilcloth over the table, I noticed that the marks were still visible— so I just used a piece of quilt wadding between the table and the oilcloth and that did the trick.
 
Up until now I’ve been performing this sort of jobs with the help of small upholstery nails but I figured it was time to invest in a staple gun. In Lisbon I used my mum’s (a nice Bosch one) but I couldn’t find it here in NZ, so I just bought another electric stapler that was available at my local DIY store.
 
With Rodrigo around this operation took me a whole weekend. In a house with no small children I reckon it would have taken two hours. As you can see he was of great help!
(photos: © Constança Cabral)

Puxadores Fita Métrica :: Tape Measure Handles

 

 

 

 

 

Puxadores para a minha mesa-de-cabeceira feitos de fita métrica! Vi esta ideia há bastante tempo numa revista francesa (última fotografia) e felizmente arranquei a página e guardei-a. Comecei por experimentar com uma fita métrica azul made in China — o azul não me convenceu e a fita era de má qualidade e rebentou ao fim de poucas utilizações. Então peguei na minha fita métrica a sério (esta branca e made in England) e sacrifiquei-a em nome de uma causa maior. Um grande obrigada ao meu querido Tiago faz-tudo pela ajuda preciosa!
Handles for my nightstand made out of tape measure! I saw this idea in a French magazine years ago (last picture) and luckily I teared out the page and saved it. I started by using a blue tape measure made in China — the blue didn’t really work and the tape was of poor quality and broke after a few days. So I resorted to the tape measure I use everyday (this one is white and made in England) and sacrificed it for a greater cause. A big thank you to my dearest Tiago-handyman-extraordinaire for your precious help!
(photos: © Constança Cabral)

Candeeiro Caseiro :: Homemade Lamp

 

 

Querer é poder.
Nós queríamos um candeeiro para a sala. Eu reuni os materiais. O Tiago executou.
Receita: um frasco grande de vidro (que comprámos há uns anos numa junk shop na Cornualha) + um cabo eléctrico revestido a tecido (fartei-me de procurar por essa internet fora e finalmente encontrei uma cor gira num site neozelandês, mas aposto que há disto à venda em todos os países) + um abat-jour de serapilheira (a condizer com os futuros cortinados) + um casquilho com interruptor + uma ficha + um furador com uma broca para vidro + os dotes de electricista do Tiago.
Querer é poder. Eu deveria lembrar-me desta máxima mais vezes.
Where there’s a will, there’s a way.
 
We’ve been wanting a lamp for our sitting room for a while now. I assembled the materials. Tiago executed.
 
Recipe: one large glass container (bought at a junk shop in Cornwall some years ago) + a piece of electrical cord covered in cloth (I spent hours online looking for a nice colour and finally discovered it for sale in NZ but I bet you can find something similar in most countries) + one hessian lampshade (to match our future curtains) + one socket with on/off switch + one plug + one glass drill + Tiago’s electrical skills.
 
Where there’s a will, there’s a way. I should remind myself of this more often.
 
(photos: © Constança Cabral)

Molas para Mudar Fraldas :: How to Add Snaps for Easy Nappy Changing

Não é novidade nenhuma que passo a vida em lojas de caridade, feiras e todo o tipo de vendas de artigos em segunda-mão. Estou sempre atenta a possíveis peças de roupa para o Rodrigo — em Inglaterra ainda consegui comprar uma mão-cheia delas, aqui tem sido mais difícil. Mas há uns tempos deparei-me com estas jardineiras tamanho 2 anos. São simples, alegres, bem feitas e as pernas em balão até têm graça (acho que é suposto serem calções, mas ele vai usando como calças até que chegue o Verão). Só tinham um problema: nada de molas entre pernas para mudar as fraldas.
Mas é para isto mesmo que serve uma máquina de costura, não é? Para nos libertar da tirania do pronto-a-vestir! I’ve got the power! Esta transformação foi muito fácil, mas mesmo assim lembrei-me de tirar fotografias passo-a-passo para vos poder mostrar como isto não tem nada que saber. Ora vejam só:
You already know I’m always looking for interesting second-hand items in charity shops, fairs and the like. One of the things on my radar is clothing for Rodrigo — in England I managed to find a handful of nice pieces but here in New Zealand it’s not as easy. Anyway, a while ago I stumbled upon this pair of dungarees size 2. They’re simple, cheerful, well-made and the puffed legs are kind of cute (I think they’re supposed to be worn as shorts but at present he’ll be wearing them as trousers). They only had a problem: no snaps for easy nappy changing.

But that’s what a sewing machine is for, right? To free us from the tyranny of ready-to-wear? I’ve got the power! This was such an easy transformation but nevertheless I took some photos in order to show you how simple it is. Here goes:
1. Descoser a costura entre pernas e um bocado das bainhas. 
1. Unpick the seam between the legs as well as a little bit from the hem.

2. Dobrar as margens de costura entre pernas e refazer as bainhas.
2. Turn the seam allowances under and re-stitch the hems.

3. Passar a ferro as margens de costura entre pernas.

3. Press the seam allowances flat.

4. Cortar dois bocados de fita de molas à medida.

4. Cut two pieces of snap tape to measure.

5. Alfinetar e coser a toda a volta da fita, usando um pé calcador para fechos éclair. Atenção que a fita vai ser aplicada de um lado do direito e de outro do avesso das jardineiras. Eu usei linha branca em cima e azul-escura em baixo.
5. Pin and stitch all around the snap tape using a zipper foot. Take notice that on side the tape will be sewn on the wrong side of the dungarees, whilst on the other it’ll be sewn on the right side. I used white thread on top and navy blue on the bottom.

6. Já está! Claro que em vez de fita de molas, podia ter usado molas de pressão, molas de coser ou até mesmo botões. 
6. You’re done! Instead of snap tape you could use press studs, sew-in snaps or even buttons.
(photos: © Constança Cabral)

Bicarbonato de Sódio :: Bicarbonate of Soda

 

(antes :: before)
(depois :: after)

 

Não sou a primeira pessoa nem serei com certeza a última a exaltar as fantásticas propriedades do bicarbonato de sódio. Entre as suas mil e uma utilizações possíveis, é um poderoso agente de limpeza. Já experimentaram? Basta misturar um bocado de água até fazer uma pasta, esfregar e sai (quase) tudo!
(apesar de não ter nenhuma filha, não resisti a esta cama de bonecas — aliás, acho que vou fazer um colchão, lençol, cobertor e colcha… só para mim!)
I’m not the first and I won’t be the last person to praise the virtues of good old bicarbonate of soda. Amongst its 101 possible uses, it’s a powerful cleaning agent. You simply mix it with water to make a paste and then scrub away. Most of the dirt will come out!
 
(although I don’t have any daughters, I couldn’t resist this doll bed — in fact, I think I’m going to make a mattress, top sheet, blanket and quilt for it… just for me!)
 
(photos: © Constança Cabral)