Natal Cor-de-Rosa :: Pink Christmas

Apesar de estarmos a viver uma Primavera esquizofrénica (25ºC num dia, 15Cº no outro… às vezes calor e humidade, outras vezes frio e ventos ciclónicos e, claro, o Rodrigo constipado), decidi que tenho de abraçar este Natal-não-invernoso. Há que deixar a simbologia do hemisfério norte para trás e tentar encontrar novas referências. Este nosso Natal vai ser aquilo que a Páscoa não pode ser: uma festa em cores frescas. Venham daí o cor-de-rosa, o azul-turquesa, o verde-água e o amarelo-limão! 
Numa estrada aqui ao pé reparei nuns arbustos limpa-garrafas, uns cor-de-rosa claro e outros cor-de-rosa shocking. Em Portugal é fácil encontrar limpa-garrafas, mas só os conhecia em encarnado! São arbustos australianos e não neozelandeses, mas vêem-se bastante por cá. Pensei imediatamente que dariam uma coroa de Natal bem gira e, uns dias depois, voltei ao mesmo sítio munida da minha fiel secatória e apanhei alguns ramos.
Estas coroas são fáceis de fazer e têm bastante impacto: basta ir prendendo os ramos a uma armação circular, com a ajuda de um bocado de arame ou cordel, tendo o cuidado de orientá-los sempre na mesma direcção.
As coroas naturais duram bastante tempo em climas frios (as que fiz em Inglaterra duravam semanas a fio). Esta vai secar rapidamente, mas não faz mal porque já tenho uma ideia para a próxima!
Although we’ve been having a rather schizophrenic spring (25ºC one day, 15ºC the next… sometimes it’s hot and humid, other times it’s cold and windy… no wonder Rodrigo got a cold), I’ve decided that I must embrace this non-wintery Christmas. I’ve got to leave the northern hemisphere symbology behind and come up with new references. This Christmas is going to be what our Easter couldn’t be: a festivity in ice-cream colours. I want pink, turquoise, mint green and lemon yellow!

The other day I noticed a few bottlebrush shrubs on a road verge not far from here. The thing that struck me was their colour: light pink and hot pink! I’ve seen lots of bottlebrush shrubs in Portugal but they were always red. They’re native to Australia, not NZ, but you see them a lot around here. When I saw them I immediately thought they’d make a great Christmas wreath so a few days later I went back there with my trusty pair of secateurs and clipped a few branches.

These wreaths are very easy to make and have a great impact: you just attach the branches to a metal circle using a piece of wire or twine, making sure that they’re all pointing in the same direction.

Natural wreaths keep for quite a while in cold climates (the ones I made in England went on for weeks on end). This one will dry out quickly but that’s fine because I already have an idea for the next one!
(photos© Constança Cabral)

Praia! :: Beach!

Que bom que é ver o Rodrigo todo contente na praia, ainda por cima vestido com coisas feitas por mim! Os chapéus são do livro Little Things to Sew (já tinha feito um no ano passado) e os calções de banho foram feitos com base no molde Kid Shorts Made (à semelhança dos calções dos pijamas), com algumas alterações: para lhes dar um ar de praia, fiz duas casas de botão à frente para fazer passar um cordão e cosi um bolso atrás. Os dois primeiros foram feitos com tecidos leves de algodão; o último par foi um aproveitamento de um fato-de-banho do Tiago. Viva o Verão!
It´s wonderful to see Rodrigo at the beach looking so happy and at ease, especially when he’s wearing the things I made for him. The hats are from the book Little Things to Sew (I had already made one last year) and the shorts were made using the Kid Shorts Made pattern (the same pattern I used to sew him some pyjamas) with some alterations. To give them a beach look, I sewed a couple of buttonholes in the front and added drawstrings, as well as a pocket in the back. The fabrics I used for the first two pairs of shorts are lightweight cotton lawns; for the third pair I repurposed an old pair of Tiago’s swim trunks. Hurrah for summer!
(photo: © Constança Cabral)

Flores de Setembro :: September Flowers

Para o baptizado do Rodrigo fiz três arranjos de flores: um na sala, por cima da lareira, outro na mesa de entrada e um terceiro na casa de jantar. Como sempre, todas as flores vieram do jardim (que, por esta altura do ano, já se encontra praticamente esgotado).
For Rodrigo’s christening I made three flowers arrangements: one for the mantelpiece in the sitting room, another for the the hallway table and one for the dining room. As usual, the flowers all came from the garden (which is looking rather depleted this time of year).

(photos: Tiago Cabral)

Praça :: Farmers’ Market

Quilos e quilos de citrinos óptimos, mel para dar e vender, ameixas dulcíssimas do tamanho de tomates-cereja, peixe fresco… como é bom ir à praça em Portugal! 
Kilos and kilos of citrus fruits, loads of honey jars, incredibly sweet plums as small as cherry tomatoes, fresh fish… Portuguese farmers’ market are wonderful!

(photos: Tiago Cabral)

Ameixas Bravas :: Damsons

Hoje de manhã saí cedo de casa para ir apanhar amoras. Há um ano apanhei algumas e fiz geleia, e este ano queria repetir a dose. A certa altura um vizinho meteu conversa comigo, disse-me que já era tarde para apanhar amoras e perguntou-me se não queria apanhar antes damsons (um tipo de ameixa muito comum na Grã-Bretanha). Vim para casa com um cesto cheio e planos para fazer doce e licor de ameixa. Como é bom viver no campo! 
This morning I left the house early in search of blackberries. Last year I managed to pick a few and make jelly, and I wanted to do it again this year. Whilst I was raiding the hedgerows a neighbour came up to me, asked me what I was picking and told me it was much too late for blackberries. He was nice enough to offer me some damsons though. I came home with a basket full of fruit and now I’m planning to make damson jam and damson gin. Oh the joys of country living!

(photos: Constança Cabral)

Summer :: Vanilla Ice-Cream

Há que aproveitar os últimos dias de Verão e para isso nada melhor do que fazer gelado em casa. Há uns dias fiz gelado de baunilha, a partir de uma receita deste livro, com ovos, natas, açúcar e uma vagem de baunilha. Como não tenho máquina de gelados, usei aquele velho método de, de hora a hora, quebrar os cristais de gelo com um garfo (fiz isto três vezes). Ficou óptimo!

[por razões de direitos de autor, não transcrevo a receita que utilizei — no entanto, há centenas de receitas semelhantes em livros e sites]
We must make the most of the last days of summer and in this time of year there’s nothing better than eating homemade ice-cream. A couple of days ago I followed a recipe from this book to make vanilla ice-cream using only eggs, cream, sugar and a vanilla pod. Since I don’t own an ice-cream maker I used that old method of breaking up the ice-crystals with a fork every hour for three hours. It turned out great!

[for copyright reasons I won’t transcribe the recipe I followed — however, there are hundreds of similar recipes in books and websites]

(photos: Tiago Cabral)

Morangos Silvestres :: Wild Strawberries

O poder da jardinagem continua a espantar-me. Na Primavera semeei umas sementes de morangos silvestres; pus os vasos à janela, reguei e umas mini-plantas foram crescendo… a certa altura transplantei-as para o jardim e agora tenho morangos! A sério, se eu consigo fazer nascer fruta a partir de sementes microscópicas, qualquer pessoa consegue.
The power of gardening never ceases to amaze me. In spring I sowed wild strawberry seeds; I placed the pots on a windowsill, watered them and several mini-plants started growing… some months later, I transplanted them into the garden and now I’ve got strawberries! Really, if I can make fruit grow out of some microscopic seeds, so can you.

(photo: Constança Cabral)