Mãos à Obra!

“Este livro é sobre criatividade, gratificação e independência. 
Sobre saberes antigos adaptados à vida presente. 
Sobre descoberta e imaginação. 
Este livro é sobre coisas feitas à mão.”
É assim que começa “Mãos à Obra!”, o meu livro com a Marcador, que vai ser lançado amanhã em Portugal. Escrevo estas palavras com um aperto no estômago — sinto uma enorme alegria mas também uma boa dose de nervosismo. Um livro! Escrevi um livro!
Fui desafiada a escrevê-lo há dois anos e trabalhei nele com muito entusiasmo e afinco. Tentei ser criativa nos projectos, perfeita nos acabamentos e rigorosa nas explicações. A Marcador fez um excelente trabalho de design, paginação e revisão (escrevi o livro “à antiga” mas os textos foram todos revistos conforme o novo acordo ortográfico). As fotografias foram tiradas pelo Tiago e por mim em três países diferentes. Quando assinei o contrato, o Rodrigo era um bebé de colo e ei-lo agora, um rapazinho com quase 3 anos! Escrevi e fotografei parte do livro já com o Pedro na minha barriga, e revi provas nos intervalos das sestas. 
O blog foi o ponto de partida, mas o livro é muito mais do que o blog. Tem quase 50 projectos de costura, culinária, jardinagem e decoração e o tema subjacente é a casa. No capítulo introdutório fiz um apanhado das minhas opiniões e convicções a respeito deste estilo de vida que escolhi e estabeleci as bases para as diferentes matérias do livro. Há muito tempo que não escrevia tão intensamente — foi uma oportunidade óptima para repensar as minhas escolhas e tentar transmitir-vos aquilo em que acredito.
O livro está dividido em quatro partes: Primavera, Verão, Outono e Inverno. Já sabem que sou grande adepta de tirar o maior partido das estações do ano e fazer o possível por torná-las especiais. Ao tornar os nossos dias especiais, estamos a tornar a nossa vida especial. Não pretendo que nos tornemos todas meninas prendadas — longe disso! —; o meu objectivo é descomplicar estes assuntos e ajudar a desfazer o mito de que a criatividade é uma qualidade inata, que é concedida apenas a algumas pessoas.  
Quantas vezes ouvimos dizer “não tenho jeito de mãos” ou “não tenho imaginação”? Isso para mim não faz sentido. Nós somos capazes de tudo, desde que tenhamos muita curiosidade, bastante vontade, alguma paciência e um certo empenho. O importante é não ter medo de dar o primeiro passo.
Espero sinceramente que gostem do resultado. Ao longo deste processo tive sempre os leitores do blog muito presentes na minha cabeça. Se escrevi um livro, foi graças a vocês. E, por isso, o livro acaba assim:
“E a todos os leitores do meu blog, pelo interesse e entusiasmo com que têm vindo a acompanhar as minhas aventuras pelo mundo.”
Obrigada!
[o livro vai estar à venda em livrarias e hipermercados de Portugal, e online aqui]

//player.vimeo.com/video/109113108


“This is a book about creativity, gratification and independence.
About time honoured practices carried through to modern times.
About discovery and imagination.
This is a book about making things by hand.”

These are the first lines of “Mãos à Obra!” , my book with Marcador, which will be out tomorrow in Portugal. I’m writing these words with butterflies in my stomach — I feel tremendous joy but also a fair amount of nervousness. A book! I’ve written a book!

I was invited to write it two years ago and I worked on it long and hard, and with great enthusiasm. I  did my best to come up with creative projects, neat workmanship and clear instructions. The publisher did a great job in terms of design and edits. The photos were taken both by Tiago and myself, in three different countries. When I signed the contract Rodrigo was just a baby and look at him now, a little boy who’s almost 3! I wrote and photographed the final part of the book with Pedro already inside me and  proofread it in between nap times.

This blog was the starting point for the book but the book is so much more than just the blog. The almost 50 projects cover topics like sewing, baking, preserving, gardening, flower arranging and decorating and they all revolve around the idea of home life. The first chapter lays the foundation for the various themes and I delve deep into my choices and opinions on the subject of home living, appreciating the simple things in life and, of course, making things by hand. I had not written in such an intensive way in a long time and it was a great opportunity for me to rethink my beliefs and share my thoughts with you.

The book is laid out in four main sections: spring, summer, autumn and winter. You already now I am passionate about making the most of what’s in season and trying to make them feel special. By making our days special we are making our lives special. My aim isn’t to make women feel like they’ve got to become “accomplished ladies” — on the contrary, my goal with this book is to uncomplicate these subjects and to help dispel the myth that creativity is an innate skill that only graces certain people.

How many times have we heard things like “I’m not good with my hands” and “I have no imagination”? To me, that’s nonsense. We can make everything we set our hearts into as long as we have lots of curiosity, a strong will, a bit of patience and a fair amount of commitment. What’s important is to not being afraid of taking the first step.

I sincerely hope you’ll enjoy this book. Throughout this process I’ve always had my blog readers in mind. If I’ve written a book it’s because of you. And so the last sentence of the book is:

“To all my blog readers, for following my adventures around the world with so much interest and enthusiasm.”

Thank you!

[the book is written in Portuguese but if you’d like to buy it and have it shipped internationally, you can do so here]


Obrigada! :: Thank You!

Muito obrigada pela vossa reacção à notícia de que escrevi um livro! Estou cheia de vontade que ele saia e espero sinceramente que gostem do resultado. Fizeram-me várias perguntas a respeito do livro e vou tentar responder na medida do possível:
Qual é o tema do livro?
Sem querer estragar a surpresa, posso adiantar que o livro segue a linha do blog. É um livro de projectos à volta de tecidos, flores, culinária, decoração e um pouco de jardinagem. 

Onde poderei comprar um exemplar?
O livro vai estar disponível na maior parte das livrarias e hipermercados de Portugal. Se preferir comprar online, poderá fazê-lo em sites como wook.pt, fnac.pt, presenca.pt, bertrand.pt, etc.
E quem não vive em Portugal, como pode comprar um livro?
Tanto o Wook como a Fnac enviam para o estrangeiro.
Há planos para que o livro seja publicado noutros países/línguas?
Não faço ideia… se alguma editora estrangeira estiver interessada em comprar os direitos, então sim!
Vou estar em Portugal para o lançamento do livro?
Infelizmente não… Ainda não sabemos quando iremos a Portugal, talvez só daqui a um ano. Tenho imensa pena porque seria uma oportunidade gira para conhecer as pessoas que lêem o blog. Vou tentar compensar online!
O livro já está no prelo e espera-se que se encontre à venda em finais de Outubro.
Thank you so much for your kind reaction to my book news! I can’t wait for it to come out and I really hope you’ll enjoy it. I was asked a few questions about it and I’m going to try to answer them to the best of my ability:

What’s the book about?
Without wanting to spoil the surprise, I can tell you that the book follows the main themes of my blog. It’s a project book and it revolves around fabrics, flowers, baking and preserving, home decorating and also a bit of gardening.

Where can you buy a copy?
The book will be for sale at most bookshops and big supermarkets in Portugal. You’ll also be able to buy it online at websites like wook.ptfnac.ptpresenca.ptbertrand.pt, etc.

Will the book be published in other countries/languages?
I have no idea at this point… if later on it happens to be picked up by a foreign publisher, then yes!

If you don’t live in Portugal but still want to buy a copy, how can you do so?
Both Wook and Fnac will ship internationally.

Will I be in Portugal for the book launch?
Unfortunately not… We’re not sure when we’ll travel to Portugal again, maybe next year. It’s such a shame because it would be a fun opportunity for a meet-up with blog readers. I’ll try to make up for it online!

The book is being published right now and will hit bookshops in late October.

(photo© Constança Cabral)

Por Aqui :: Around Here

 

 

 

 

 

 

Chuva e sol, frio e calor — típico tempo de início de Primavera. Um bebé a crescer e um rapazinho que adora cozinhar. Algumas noites mal dormidas. O jardim a acordar. Projectos de costura que avançam muito lentamente. Muitos livros, muitos puzzles e alguns desenhos animados. Bolos e scones. O Rodrigo (novamente) doente em casa e eu sem saber muito bem como gerir o dia-a-dia. Estamos todos a precisar de apanhar ar! 

 
PS. Tenho andado a ouvir o podcast The Longest Shortest Time e estou a gostar imenso — é sobre os primeiros tempos de maternidade (e paternidade) e acho-o inteligente e bem produzido. Recomendo-o vivamente a toda a gente com bebés pequenos em casa!
 
 
Rain and sunshine, cold and warm — typical early spring weather. A baby that keeps on growing and a little boy who loves kitchen work. A few broken nights. A garden that’s showing signs of life. Sewing projects that progress very slowly. Lots of books, lots of puzzles and some cartoons. Cakes and scones. Rodrigo was sick (again) and I struggled a bit. We’re all in need of some fresh air!
PS. I’ve been listening to The Longest Shortest Time podcast and I’m really enjoying it — it’s about the early days of parenthood and I find it intelligent and well-produced. If you’re a new parent, I highly recommend it!


(photos© Constança Cabral)

Por Aqui :: Around Here

Ando com vontade de voltar a publicar posts com apanhados do meu dia-a-dia cá em casa. Posts mais espontâneos e mais mundanos, pequenos vislumbres da minha vida — momentos que, no último ano e meio, passei a partilhar no Instagram e não aqui no blog. Gostava que se tornasse algo frequente (quinzenal? semanal? o melhor é não me comprometer com nada nesta altura): quero desafiar-me a tirar mais fotografias, experimentar ângulos diferentes, tentar captar pormenores e registar estes instantes para a posteridade.
Estou prestes a completar as 40 semanas de gravidez. Tenho passado os últimos dias a fazer cortinados para a bay window do nosso quarto (3 janelas com 3,30 m de altura). A roupa de bebé está toda lavada e arrumada. Trouxe uma série de livros da biblioteca. Tenho aproveitado a ajuda da minha mãe para descansar (e coser). Continuo a fazer pão. Já há flores de Primavera nos jardins e nos supermercados. A minha máquina de costura entregou a alma ao Criador e tive de arranjar uma substituta (a decisão teve de ser tomada rapidamente e acabei por comprar uma Bernina Nova 900 dos anos 80… mas tenho muitas saudades da minha Bernina Record 830 e não vou descansar enquanto não encontrar outra igual).
Ao escrever este post, lembrei-me de um que escrevi há dois anos e meio, uns dias depois de ter completado as 40 semanas do Rodrigo. O país era outro mas também era Inverno (apesar de o mês ser Fevereiro e não Julho). E, curiosamente, os meus dias eram passados de maneira semelhante… ora espreitem aqui.
I’ve been wanting to come back to posting snippets of my days at home. I’m feeling the urge to publish more spontaneous and mundane snapshots here on the blog — some of those moments that I’ve been sharing  on Instagram for the past 18 months. I’d like to do it with some kind of frequency (weekly? fortnightly? maybe this isn’t the best time to make this kind of commitments): I want to challenge myself to take more pictures, try different angles, capture details and freeze some instants of my life.
 
I’m two days short of being 40 weeks pregnant. I’ve been spending the last few days making curtains for the bay window in our bedroom (no small task… I’m talking three windows that are 3,30 m high). All of the baby clothes are washed and ready. I’ve borrowed a few books from the library. I’ve been making the most of the fact that my mother’s here and I’ve been resting (and sewing lots). I’m still baking bread. Spring flowers can be spotted in gardens and supermarkets. My sewing machine died and I had to find a replacement (the decision had to be made quickly and I ended up buying a Bernina Nova 900 from the 1980s… but I’m still mourning my Bernina Record 830 and I shall not rest until I manage to track down another one).
 
Whilst sketching out this post I remembered writing a similar post two and a half years ago when I was a couple of days overdue with Rodrigo. I was living in a different country but it was also winter time (even though the month was February rather than July). And funnily enough, my days were spent in a very similar way… check it out here.
 
(photos© Constança Cabral)

 

Entrada :: Hall

 

 

 

 

 

A nossa entrada está a ficar muito composta. Resolvemos pintar o corredor em duas cores: 2/3 em branco e 1/3 num azul-acinzentado (eu queria uma cor mais esverdeada mas não consegui encontrar “aquele” tom). Está a ficar com um ar fresco e moderno, mas simultaneamente clássico qb para uma casa antiga.
Agora falta forrar o sofá de palhinha e fazer uns cortinados para a porta (as correntes de ar deste corredor são inacreditáveis… há frinchas e frestas em todo o lado. Bem dizem que as casas neozelandesas têm grandes problemas em termos de isolamento).
Ainda há muito trabalho pela frente, mas sabemos que vai valer a pena!
Our hallway is coming out very nicely. We’ve decided to paint the corridor in two colours: 2/3 in white and 1/3 in a greyish blue (I was looking for something with a bit more green in it but couldn’t find the perfect shade). It’s turning out quite fresh and modern but at the same time classic enough to suit an old house. 
 
Now we just have to reupholster the cane sofa and sew some curtains for the front door (this corridor is incredibly drafty… there are little gaps and cracks everywhere. I’ve heard that NZ houses have got great insulation issues). 
 
There’s still a lot of work ahead of us but we know it’ll be worth it in the end!
(photos© Constança Cabral)

Flora Inglesa :: English Flora

Estes dias entre o Natal e o Ano Novo são óptimos para passar em revista o que se passou e fazer planos para o ano que se avizinha. Estou a vibrar com as flores que vejo à beira das estradas aqui na NZ e lembrei-me de ir ver os arranjos que fiz ao longo dos três anos que estivemos em Inglaterra. Ora ficam aqui algumas imagens da nossa lareira em diversas estações do ano.
These days between Christmas and the New Year are great for reviewing what has happened throughout the months and to make plans for the year ahead. I’m excited with the flowers I’m seeing on NZ road verges so I thought I’d revisit some of the arrangements I made over the three years we lived in England. Here are some pictures of our seasonal mantelpiece.
 

 

Maio 2010 :: May 2010

 

 

Maio 2010 :: May 2010
 
Junho 2010 :: June 2010
 
Setembro 2010 :: September 2010
 
Outubro 2010 :: October 2010
 
Dezembro 2010 :: December 2010
Janeiro 2011 :: January 2011
 
Março 2011 :: March 2011

 

Março 2011 :: March 2011
 
Abril 2011 :: April 2011
 
Janeiro 2012 :: January 2012
 
Abril 2012 :: April 2012

 

Junho 2012 :: June 2012
 
Setembro 2012 :: September 2012
 
Agora estou desejosa de começar a apanhar flores neozelandesas!
Now I can’t wait to start picking Kiwi flowers!
 
(photos: Tiago Cabral; Constança Cabral)

Flores e Folhas de Outubro :: October Flowers and Leaves

 

 

Há dois anos foi assim; este ano só houve tempo para dois arranjos. O Erlenmeyer gigante é uma aquisição nova (o Tiago salvou-o do lixo do laboratório) — não é o máximo?
Two years ago it looked like this; this year there was only time to make two small arrangements. The giant Erlenmeyer flask is a new acquisition (Tiago saved it from the lab bin) — isn’t it great?
 
(photos: Tiago Cabral)

Para a Anfitriã :: Hostess Gift

Esta semana passei uma tarde na companhia de duas mães e dois bebés amorosos. Para a dona da casa levei um ramo de flores do nosso jardim (narcisos, jacintos e muscari) e uma lata com bolachas de aveia (receita aqui).
This week I spent an afternoon with two lovely mums and their babies. To the hostess I took a bouquet of garden flowers (daffodils, hyacinths and muscari) and a tin of oatmeal cookies (recipe here).

(photo: Constança Cabral)

Licor de Abrunho :: Damson Liqueur

Às vezes ouvimos contar que as nossas avós e bisavós faziam licores em casa. “Extraordinário!”, pensamos, “que senhoras industriosas.” Pois hoje eu venho desfazer um mito: fazer licor em casa é facílimo. Há dezenas de receitas disponíveis (a minha edição do Pantagruel tem 18) mas no fundo trata-se sempre de deixar macerar a fruta em álcool, açúcar e especiarias.
As duas fotografias foram tiradas com um mês de intervalo: é o nosso licor de abrunho, no dia em que foi feito e hoje. No Natal será filtrado e engarrafado — e bebido. O método é simples: meio quilo de fruta, 125 g de açúcar fino, raspa de um limão, um pau de canela e uma garrafa de vodka: tudo para dentro de um frasco grande e limpo (caso estivéssemos a viver em Portugal, teríamos usado aguardente). Agitar todos os dias. Esperar tês meses. Filtrar e engarrafar. O mais engraçado de tudo é que usei um frasco que a minha bisavó materna usava para fazer os licores lá de casa.
Sometimes we hear our family tell tales of how our grandmothers and great-grandmothers used to make liqueurs at home. “How extraordinary”, we think, “such industrious ladies”. Well, today I’m going to undo this myth: homemade liqueurs are the easiest things. There are dozens of recipes available but deep down it all comes to letting the fruit macerate in alcohol, sugar and spices. 

The two pictures above have been taken with a month’s difference: it’s our damson liqueur the day it was prepared and today. By Christmas time we’ll filter and bottle it — and drink it. Here’s how we made it: half a kilo of fruit, 125 g of caster sugar, the zest of a lemon, one cinnamon stick and one bottle of vodka: all poured into a large, clean jar. Shake it every day. Wait 3 months, then strain and bottle it. The loveliest thing was that I utilised the jar my great-grandmother used to employ to prepare her own liqueurs. 

(photos: 1- Tiago Cabral; 2- Constança Cabral)